A Bienal

Em abril de 2012, durante dez dias, a I Bienal Brasil do Livro e da Leitura reuniu em Brasília cerca de 200 autores de todos os continentes. Com o tema “O poder transformador do livro e da leitura” o evento homenageou dois dos mais importantes nomes das letras de todo o mundo: o escritor nigeriano Wole Soyinka, prêmio Nobel de Literatura de 1986, e Ziraldo, um dos maiores expoentes de literatura infantil brasileira.

A Bienal Brasil do Livro e da Leitura é um dos maiores eventos literários do país. Uma programação diversificada e inteiramente gratuita atraiu mais de 250 mil visitantes, que participaram de lançamentos de livros, seminários, debates, palestras, encontros, oficinas, exibições de filmes, exposições, homenagens, shows e apresentações teatrais. Para estudantes e professores, a Bienal teve um atrativo especial: livros a preços acessíveis ou com descontos.

A I Bienal foi realizada na Esplanada dos Ministérios da capital do País, cidade patrimônio cultural da humanidade. Em uma área de 16 mil metros quadrados foi montada uma estrutura que abrigou 158 estandes de venda, que disponibilizaram mais de 80 mil títulos e publicações de cerca de 350 editoras. Estima-se que mais de 330 mil livros foram vendidos durante a realização do projeto, em uma movimentação financeira que atingiu mais de 6 milhões de reais.

A II Bienal Brasil do Livro e da Leitura promoverá 10 dias dedicados a seminários, debates, palestras, lançamentos e mostra de cinema. A lista de escritores convidados é pródiga e cobre vários continentes. O uruguaio Eduardo Galeano, autor de obras antológicas como As veias abertas da América Latina e a trilogia Memória do Fogo, será o homenageado internacional do evento. E o grande mestre Ariano Suassuna, considerado por muitos críticos como o maior escritor brasileiro em atividade, receberá as honras como homenageado nacional, trazendo para a Bienal seu pensamento indignado em defesa da cultura brasileira.

Tag3 - Desenvolvimento Digital